en

Tristeza tem hora e lugar nas nossas vidas from Rafael Pinto's blog

Sinta-se privilegiado por ler e ver esse post pois essa é a primeira vez que que falo sobre isso de maneira aberta além de meus familiares. 


A foto acima é do local que muitos anos atrás eu frequentei (do C.A. até a quarta série do 1o grau) e por muitos mais evitei.  Esse local representa para mim o fim da minha alegria e o início da descrença no ser humano. Ali a vida se fez material e desalmou para sempre um moleque bipolar (ataques de euforia e tristeza que só vão ser descobertos vinte anos depois) que passou a viver na sombra, mesmo tendo o sol batendo na sua cara. 


Ali, tudo que eu acreditava, valores que trazia de berço foram debulhados como em um conto de Nelson Rodrigues. Amizade, Solidão, Tristeza, agonia eram sentimentos recorrentes na vida desse moleque prematuro que mal sairá do colo da mãe. Lambada atrás de lambada, esse ser foi começando a enxergar a vida em preto e branco enquanto o mundo a sua volta aproveitava as cores. Sozinho, carregava consigo a culpa e inabilidade de integrar com os outros. 

Pensava diferente, por ser diferente e sofria horrores porá se adequar. Padeceu por anos tentando ser para o outro o que não poderia ser ele mesmo. Tem hoje longas e profundas cicatrizes que tornaram no ser que é hoje. Mesmo não se arrependendo, não passaria por isso novamente de maneira gratuita. Ninguém merece passar por isso da forma com que passei. Ninguém precisa de um bastião de tristeza como esse na vida



Share:
     Blog home

The Wall

No comments
You need to sign in to comment

Post

By Rafael Pinto
Added Sep 11

Tags

Rate

Your rate:
Total: (0 rates)

Archives

Password protected photo
Password protected photo
Password protected photo